chevron-down chevron-left chevron-right chevron-up home circle comment double-caret-left double-caret-right like like2 twitter epale-arrow-up text-bubble cloud stop caret-down caret-up caret-left caret-right file-text

EPALE

Platforma electronică pentru educația adulților în Europa

 
 

Spațiul de știri

Estado da arte - Literacia financeira em Portugal

19/10/2018
Limba: PT

O Banco de Portugal pretende, através da iniciativa Todos Contam, a partir de 2010, avaliar a literacia financeira da população portuguesa de 5 em 5 anos. Neste momento, este inquérito já vai na segunda edição, o que permite não só quantificar o nível de conhecimento da população nesta área, mas também, através da comparação com o inquérito anterior, verificar o impacto das medidas políticas tomadas nos 5 anos precedentes.

Os resultados da ação tomada em 2015 são claros: apesar da melhoria registada nos níveis de poupança e da inclusão financeira da população portuguesa, esta ainda apresenta resistência em aplicar as suas poupanças em produtos financeiros. Este facto poderá estar explicado pelo facto de a população portuguesa ter baixos conhecimentos sobre produtos financeiros.

Os principais fatores que determinam a escolha de produtos financeiros pela população portuguesa são: o aconselhamento ao balcão pelo funcionário da instituição e o aconselhamento dos familiares e amigos. Esta atitude mostra que a promoção da formação financeira é pertinente e que deve ocorrer em formato contínuo junto da população para que esta possa compreender a informação disponibilizada pelas instituições financeiras e possam, de forma independente, tomar decisões por si próprio.

Os grupos sociais com menor nível de literacia financeira em Portugal são os estudantes, os desempregados e os aposentados. Esta avaliação está em linha com os números apresentados noutros estudos realizados a nível europeu que verificam que a maioria dos cidadãos europeus possuí baixas qualificações em conhecimentos, atitudes e comportamentos financeiros.

O Plano Nacional de Formação Financeira já tem vindo a estruturar iniciativas para alguns destes grupos, no entanto, o grupo dos desempregados, dos aposentados e dos indivíduos de baixos rendimentos, ainda carecem de medidas mais estruturadas e abrangentes para resultados mais robustos.

Tendo em consideração este panorama, surgiu o projeto Euroinvestment – Jogo Europeu de Literacia Financeira para Adultos. O Euroinvestment é um projeto cofinanciado pelo programa Erasmus + e aprovado no âmbito da ação-chave 2, Parcerias Estratégicas para a Educação de Adultos. O projeto visa desenhar, testar e oferecer um jogo especialmente dirigidos a adultos de baixas qualificações, promovendo os seus conhecimentos e competências essenciais em literacia financeira, tais como: juros compostos e diversificação de risco, exploração de vulnerabilidade e influência no crédito, poupança e investimentos, entre outros. O projeto iniciou em novembro de 2018 e conta com seis organizações de três países diferentes (INOVA + e CESAE de Portugal, Acción Laboral e IEF de Espanha e CARDET e INNOVADE do Chipre).

Os principais grupos-alvo do Euroinvestment são adultos de baixas qualificações; formadores e profissionais de educação de adultos e especialistas financeiros. Com os resultados do projeto, qualquer adulto poderá jogar e absorver todos os seus benefícios e conhecimentos de forma independente, sendo apoiados por um guia. Além disso, os formadores terão acesso a um curso desenhado para integrar essas ferramentas nas suas próprias ações de formação e explorá-los com os seus formandos, com base no manual e nos workshops desenvolvidos.

Para mais informações sobre o Plano Nacional de Formação Financeira bem como aceder ao Relatório do Inquérito à Literacia Financeira da População Portuguesa consulte https://www.todoscontam.pt/.

Para mais informações sobre o projeto Euroinvestment, por favor contactar Luísa Cruz, gestora do projeto, através de luisa.cruz@inova.business

Share on Facebook Share on Twitter Epale SoundCloud Share on LinkedIn