Passar para o conteúdo principal
Centro de recursos

Centro de recursos

The EPALE Resource Centre is a bank of materials that will help keep you up to date with adult education best practices and reference documents.

We publish case studies of innovative adult education approaches, reports and policy documents as well as magazine and newspaper articles.

You will also be able to find open education resources as well as training and learning materials so you will always have access to the best tools to help you in your everyday work.

 

How to use the Resource Centre

There are several ways to browse and search the EPALE Resource Centre:

  1. Browse The newest content is at the top of the page so you can easily stay up to date with the most recent developments in the sector.

  2. Search Go straight to a specific resource by typing the title, author or keyword in the search box.

  3. Filter Filter by type of resource, theme, tags, country, author and language. Relevant resources will be listed to the left of the page.

Happy searching!

 

How to get involved

Do you have a resource you would like to share or an interesting publication you would to publish in EPALE? EPALE can provide an extra dimension to your project by promoting your results within a professional network across Europe.

Please note: The resources featured in EPALE are not endorsed by the European Commission.

We do our utmost to ensure that content hosted on EPALE, or directly linked to, does not breach EU and national rules and conventions governing intellectual property. However, if you feel that we have infringed these rules please contact us via the EPALE helpdesk or via the feedback form so we can ensure this content is removed from the site.

Restrinja os seus resultados

PAÍS

Autor

O trabalho, o conhecimento, os saberes e as aprendizagens dos Técnicos de Educação de Adultos numa ONGDL: contribuições etnográficas para uma renovação da sociologia da educação.

A sociologia da educação tem desenvolvido grande parte da sua investigação no campo da educação escolar. Não desvalorizando de modo algum tais estudos, pensamos que ela deve dar conta também de outras formas de educação, de outros contextos e actores para além daqueles que se referem à instituição escola. A investigação que realizámos pretende ser um contributo nesse sentido. Ela teve como foco de análise o trabalho realizado pelos técnicos de educação de adultos das ONGDL. O principal objectivo do estudo foi perceber o que fazem esses técnicos, que usos realizam do conhecimento abstracto com que lidam, de que é feito o seu saber e como o usam, e de que formas o contexto de trabalho é para eles educativo. Procurámos ainda definir um perfil das acções de educação de adultos levadas a cabo por estas outras instituições de educação, dando conta, assim, de contextos educativos não escolares. Metodologicamente, a investigação teve duas fases. Começámos por realizar um levantamento das ONGDL no Norte do País, e por proceder à selecção daquelas que realizavam educação de adultos, o que nos permitiu efectuar uma caracterização dessas instituições nesse sentido. Esta fase foi feita através da análise documental e de entrevistas. Foi a partir dela que escolhemos a equipa técnica de uma ONGDL onde realizámos o estudo etnográfico da sua actividade e com ele procurámos responder ao principal objectivo da nossa investigação. Os resultados mostram-nos a existência de uma assinalável diversidade de tipos de educação de adultos praticada nestas instituições, embora assuma principal relevo a formação profissional. O estudo etnográfico mostrou-nos estarmos perante uma comunidade de prática, cuja actividade vai, grosso modo, do diagnóstico à avaliação das acções de educação de adultos. Permitiu-nos verificar que mesmo num contexto de trabalho fortemente normativo é possível fazer usos recontextualizadores do conhecimento abstracto, estabelecer com ele uma relação activa, para a qual contribui a mobilização de alguns dos saberes dos técnicos, e que é também dessa articulação que se constrói o saber colectivo. Permitiu-nos ainda concluir que se trata de um contexto de trabalho educativo, assumindo particular relevo a heteroformação, um dos processos basilares da constituição da comunidade de aprendizagem estudada.
Iniciado(a) por | Publicado em 6 anos ago

Figuras da mediação na formação de adultos: um estudo multicasos, a partir da experiência em Portugal e em França.

A prática da Mediação em geral e da Mediação Educacional, em particular tem adquirido uma importância significativa nos contextos educativos, nomeadamente no campo da Educação e Formação de Adultos, com a emergência de novos processos em Portugal (Cursos de Educação e Formação de Adultos e Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências) e noutros países, especialmente a França, com a Validation des Acquis de l’Expérience (VAE). Estes modelos trouxeram consigo novos Profissionais: os Mediadores EFA, os Técnicos de Diagnóstico e Encaminhamento, os Profissionais de Reconhecimento e Validação de Competências e os Profissionais ligados ao domínio da VAE, os quais desempenham funções baseadas em práticas pedagógicas inovadoras, assentes nos princípios da Mediação Formativa. Com este Projeto, procurámos estudar os perfis, práticas, constrangimentos e expectativas destes Profissionais, potenciando a reflexão sobre a Mediação Formativa e os modelos curriculares associados a estas práticas e processos, num Estudo Multicasos comparativo entre as realidades portuguesa e francesa. Em termos metodológicos, recorremos a uma abordagem qualitativa, construtivista e interpretativa, com uma amostra de seis Estudos de Caso, envolvendo nove Profissionais. A narrativa escrita, a observação participante e a entrevista semidiretiva foram as principais técnicas utilizadas, cujos dados foram tratados e analisados através da análise de conteúdo emergente e indutiva. Foram, igualmente, administrados inquéritos por questionário aos Formandos dos Cursos EFA das Mediadoras participantes na investigação. Com o intuito de complementar o Estudo Multicasos, realizámos um Estudo em Extensão, mediante a aplicação de inquéritos por questionário aos Profissionais objeto de estudo, tanto em Portugal, como em França. A investigação realizada, mediante a informação recolhida, permitiu ingressar nos mundos vividos e sentidos dos Profissionais e dar visibilidade aos significados resultantes das suas experiências, nomeadamente: i) pelo conhecimento das suas práticas e funções em termos legislativos e pedagógicos, enquadradas no domínio alargado da Mediação Formativa; ii) pela comparação das competências e perfis das figuras da Mediação; iii) pela identificação e problematização das suas vivências, motivações, constrangimentos e sentidos atribuídos ao trabalho desenvolvido; iv) pela reflexão em torno das questões curriculares que enformam os processos de Educação e Formação de Adultos em análise. Como elementos mais relevantes emergentes dos sentidos expressos pelas Figuras da Mediação em Portugal e em França, realçamos lógicas de ação e de intervenção, ou seja, práticas e competências convergentes, mesmo que inseridas na divergência das especificidades de cada contexto, assentes num perfil de Mediação Sociopedagógica, patente na potenciação da resolução criativa e construtiva de conflitos, na promoção da participação dos Adultos, da sua autonomia e cidadania, valores fundamentais da Mediação enquanto espaço-tempo de (re)construção de identidade(s) e de convivência(s). Em termos de motivações, constrangimentos e significados atribuídos ao trabalho, verificam-se dinâmicas interiores e exteriores que evoluem num continuum entre prazer, gratificação, sentimento de contribuição e desgaste emocional fruto do próprio desafio identitário que supõe o trabalho de Mediação e, por vezes, o (não) reconhecimento que lhe está inerente. Em última instância, foi desafiado um olhar crítico sobre o lugar de destaque da Mediação e das Figuras da Mediação em termos sociais e, em especial, nos contextos educativos-formativos dos Adultos.
Iniciado(a) por | Publicado em 6 anos ago