chevron-down chevron-left chevron-right chevron-up home circle comment double-caret-left double-caret-right like like2 twitter epale-arrow-up text-bubble cloud stop caret-down caret-up caret-left caret-right file-text

EPALE

Plataforma eletrónica para a educação de adultos na Europa

 
 

Recurso

O impacto da educação e formação de adultos no desenvolvimento vocacional e da cidadania − A metamorfose das borboletas

Idioma: PT

Publicado por ANQEP EPALE

Qual o impacto da educação e formação de adultos (EFA) no desenvolvimento vocacional e da cidadania dos aprendentes? Pode considerar-se esta a questão geradora do estudo que aqui se apresenta e que teve como objecto o Centro de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências e os cursos EFA 2003- 2004 da UniNorte. A avaliação que teve lugar compôs-se por duas metodologias complementares: a primeira, quantitativa, compreendeu a administração de um questionário aos 0, 3 e 6 meses de intervenção — constituído pelo Student Career Concerns Inventory (Savickas, 2002), pela Sociopolitical Control Scale (Zimmerman & Zahniser, 1991) e pelo Questionário sobre Experiências de Participação (Ferreira & Menezes, 2001); a segunda, qualitativa, consistiu na realização de grupos de discussão focalizada dos significados e importância de que se revestem as ofertas EFA para os seus destinatários. Afigura-se legítimo dizer que, grosso modo, com base nos resultados, ambas as ofertas EFA contribuem para o desenvolvimento dos aprendentes, designadamente ao nível de dimensões centrais como a cívica e a vocacional, ou seja, configuram ofertas distintas mas promotoras ambas de desenvolvimento, do alargamento da rede de interacções e, finalmente, de libertação do “casulo” tecido pela não assimilação das sucessivas mutações sociais e tecnológicas, pela subcertificação dos adquiridos e por um défice de competências pessoal e socialmente comprometedor. Importa referir, todavia, que o estudo não pretende, em jeito de qualquer avaliação sumativa, assumir-se como ponto final destas iniciativas pessoal e socialmente reconstrutivas, mas antes como contributo para a reflexão e, tanto quanto possível, para a melhoria das práticas de EFA. Arreigado na perspectiva desenvolvimental-ecológica, intenta, ainda, concorrer para a construção de um ponto de vista psicológico sobre a temática.

Autor(es) do recurso: 
Amorim, J.
Data de publicação:
Domingo, 1 de janeiro de, 2006
Língua do documento
Tipo de recurso: 
Estudos e relatórios
País:
Share on Facebook Share on Twitter Epale SoundCloud Share on LinkedIn