chevron-down chevron-left chevron-right chevron-up home circle comment double-caret-left double-caret-right like like2 twitter epale-arrow-up text-bubble cloud stop caret-down caret-up caret-left caret-right file-text

EPALE

Plataforma eletrónica para a educação de adultos na Europa

 
 

Sala de imprensa

Trabalho e desenvolvimento de competências

20/01/2016
Idioma: PT

A organização do trabalho e das práticas de desenvolvimento de competências que beneficiam quer os empregados quer os empregadores foram o pano de fundo do seminário que decorreu, no dia 19 de novembro, em Bruxelas, coorganizado pelo Centro Europeu para o Desenvolvimento da Formação Profissional (CEDEFOP), pelo Eurofound e pelo Comité Económico e Social Europeu.

Neste seminário, que reuniu mais de 200 participantes dos diferentes Estados-Membros, provenientes da vida política e académica, de autoridades nacionais, de instituições europeias, de empresas e de sindicatos, foram dados a conhecer os principais resultados do Inquérito europeu às competências e empregos (realizado pelo Centro Europeu para o Desenvolvimento da Formação Profissional - CEDEFOP), bem como os dados apurados no terceiro inquérito europeu às empresas (da responsabilidade do Eurofound).

James Calleja, Diretor do CEDEFOP, relembrou que o primeiro inquérito foi, até à data, “a maior investigação à adequação de competências entre os adultos empregados dos 28 Estados-Membros”, com a vantagem de nos fornecer uma primeira abordagem desta temática ao longo do tempo, tendo em conta as mudanças que têm existido ao nível das competências detidas pelas pessoas e das tarefas que as mesmas desempenham nos seus trabalhos. Estes resultados, acrescentou ainda o Diretor do CEDEFOP, reforçam a necessidade de se expandir a formação em contexto de trabalho, de se investir na educação e formação profissional contínua e demonstram que “os bons empregos desenvolvem boas competências.”

Este evento permitiu ainda assinalar os 40 anos do CEDEFOP e do Eurofound, duas organizações que, nas palavras de Gonçalo Lobo Xavier, Vice-Presidente do Comité Económico e Social Europeu, têm vindo a fornecer atempadamente conhecimento relevante, permitindo “melhorar o bem-estar dos cidadãos”.

Nas conclusões finais, Nicolas Schmit, ministro luxemburguês do trabalho, emprego, e da economia social e solidária, reforçou o facto de a tecnologia ser hoje uma fonte de oportunidades de transformação tanto quanto um risco para o emprego, para as empresas e para a sociedade em geral. Por essa razão, no seu entender, a Europa necessita de dar passos no sentido de fornecer aos cidadãos e às empresas os instrumentos necessários para que todos possam lidar com a inevitável aceleração tecnológica.

Share on Facebook Share on Twitter Epale SoundCloud Share on LinkedIn