Blog
Blog

A literacia para os media para adultos deve capacitar

Vendo em detalhe a última discussão online sobre “Literacia para os media para adultos”: como avaliar criticamente as informações e as fontes?

Media literacy education for adults should be empowering

Photo by Raphael Ferraz

A discussão da EPALE “Literacia para os media para adultos - por que é importante agora?” focou-se na necessidade de se desenvolver a literacia para os media, considerando os rápidos desenvolvimentos tecnológicos e as condições sociais em constante mudança. Neste contexto, ocorrem diversas dinâmicas de comunicação que dão origem a vários desafios, tais como a má informação, a falta de informação, a desinformação, o discurso de ódio e a propaganda.

Durante a discussão da EPALE, as especialistas Heini Huhtinen (MA), editora-chefe, e Anne Tastula (MA), editora da Elm Magazine, apresentaram e discutiram uma diversidade de tópicos, como o conceito de media e de literacia para os media, o trabalho do Grupo de Especialistas em Literacia para os Media da Comissão Europeia, bem como o aumento da desinformação, que, entre outros assuntos, destaca a importância e a necessidade de se cultivar a literacia para os media. Nesse sentido, surgiu a noção de democracia, que foi ainda mais enfatizada com o projeto Palestina, apresentado pelas especialistas. A discussão prosseguiu com a literacia para os media para adultos e os melhores métodos utilizados nas práticas educativas de literacia para os media.

No conjunto de questões, bem como no feedback proporcionado, foi reconhecido que os adultos constituem um grupo bastante exigente para se trabalhar, uma vez que têm várias experiências prévias. Outro ponto levantado, durante a discussão da EPALE, prendeu-se com a identificação das pessoas que necessitam de educação e como integrá-las, sendo a literacia para os media bastante fragmentada. Além disso, as competências críticas foram destacadas em vários comentários pelos participantes. Quando falamos em competências de literacia para os media e digitalização, não devemos esquecer a essência: como avaliamos criticamente as informações e as fontes? Como podemos abordar e integrar competências críticas em ambientes online? Conforme descrito por um participante: “No mundo de hoje, onde o acesso à Internet e à informação está ao nosso alcance, o pensamento crítico que anda de mãos dadas com a literacia para os media é muito importante. O propósito do pensamento crítico não é criticar, mas sim ser capaz de criar distância, de pensar porquê e como essa informação chega até mim e se, de alguma forma, posso verificá-la ou perceber qual é a fonte da informação”

Os temas adicionais que surgiram trazidos pelos participantes e que devem ser mais explorados prendem-se com quem é / deve ter a responsabilidade de proporcionar a educação para a literacia para os media e qual é o impacto dos ambientes informais nas práticas de literacia para os media para adultos. Por exemplo, um participante afirmou: “Acho que a literacia para os media deve ser desenvolvida já nos anos escolares. Na educação de adultos podemos continuar, mas se não tivermos a base para o pensamento crítico e para a literacia para os media, será muito difícil falar sobre o seu desenvolvimento”.

Os participantes partilharam várias perspetivas e recursos, como estudos de caso, projetos, guias e estruturas.

Alguns relatórios esclarecedores:

Algumas estruturas de orientação:

  • O quadro Critical Media Literacy Framework, desenvolvido por Jeff Share, Steven Funk e Douglas Kellner, fornece um conjunto de 6 perguntas a colocar ao consumir (ou também produtor) de conteúdos para os media (também em alemão)
  • Media Literacy Competence Model 2021 baseia-se no Media Literacy Competence Model 2012 e disponibiliza oito competências de literacia mediática e dez áreas nas quais os indivíduos podem alcançar resultados tangíveis com o uso dos media.
  • Guide to digital skills for adult education é dirigido a professores, supervisores, clientes e organizações (voluntárias) que desenvolvem e asseguram formação e cursos em competências digitais para adultos pouco escolarizados e com baixa qualificação digital.

Alguns projetos interessantes:

  • a campanha Age concerns us implementada na Eslováquia com o objetivo de criar resistência à manipulação em ambiente online, fornecendo aos idosos informações sobre as armadilhas da Internet, como os boatos e as conspirações
  • o projeto Silver Civic Education visa preparar ferramentas para educadores que trabalham com pessoas com mais de 60 anos
  • o projeto MeLi Parents visa colmatar a lacuna política em relação às iniciativas de literacia para os media destinadas aos pais, criando um programa de formação e ferramentas de apoio para a educação para os media
  • European MediaCoach initiative, em Portugal, visa melhorar os níveis de literacia mediática entre os jovens através da preparação de um grande conjunto de profissionais da literacia mediática que trabalham com jovens em escolas, centros juvenis e em contextos não formais, como bibliotecas e museus
  • o projeto TeDiCom - Teaching Digital Competences in Adult Education organizou o workshop “Pensamento Crítico enquanto competência para o século XXI”
  • EMI project, que faz parte do plano nacional EMI do Ministério da Cultura, visa implementar ações pedagógicas de formação de mediadores EMI para adolescentes e jovens adultos.

Por fim, a discussão terminou com uma pergunta desafiadora feita por um participante sobre a situação futura, uma “previsão” sobre o uso dos media nos próximos 10 anos. Mesmo que ninguém possa dar respostas claras sobre o futuro, Heini Huhtinen destacou que os media já influenciam o nosso dia-a-dia, por exemplo, na forma como fazemos amigos, como nos apaixonamos e em geral na forma como interagimos com outras pessoas. Estes constituem bons exemplos de como os media digitais são incorporadas em muitos aspetos das nossas vidas e como mudam a maneira como nos relacionamos connosco mesmos e também com os outros. Focando a sua especialização em jornalismo, Heini descreveu dois cenários futuros: no primeiro, positivo, os media criariam conteúdos mais personalizados e seriam mais transparentes, tendo por base valores éticos. No segundo cenário, mais pessimista, os media intensificariam a polarização, o que levaria as pessoas a ficarem limitadas nas suas bolhas de informação mediática.

No entanto, a conclusão básica é que a educação para a literacia para os media para adultos deve capacitar. Não se deve focar apenas nas dificuldades existentes no mundo digital. Pelo contrário, deve capacitar os indivíduos no sentido de, enquanto cidadãos, poderem tornar-se mais conscientes dos conteúdos que encontram e navegar com segurança nas redes sociais.

Mesmo que haja muitas ameaças e desafios, é importante lembrar que há muito trabalho interessante feito que deve ser partilhado, para que todos possam aprender uns com os outros. Um desses trabalhos é o Recurso Educativo Aberto desenvolvido por especialistas que aborda um conjunto de questões e tópicos desafiadores que devem ser considerados de antemão nas práticas de literacia para os media sempre que se trabalha com adultos.

Esperamos encontrá-lo(a) nas próximas discussões da EPALE.

Login (10)

Pretende outro idioma?

Este documento também está disponível noutro(s) idioma(s). Selecione um, abaixo.
Switch Language

Want to write a blog post ?

Don't hesitate to do so! Click the link below and start posting a new article!

Discussões mais recentes

Focos temáticos 2021 da EPALE. Vamos começar!

Convidamo-lo(a) a enriquecer o que definimos para que este seja um ano intenso, contando com os seus contributos e experiência! Vamos começar por participar nesta discussão online. A discussão terá lugar a 9 de março de 2021, terça-feira, entre as 10:00 e as 16:00 CET (9:00 / 15:00 Lisboa). A discussão escrita será precedida por uma transmissão ao vivo com uma introdução aos focos temáticos de 2021 e será apresentada por Gina Ebner e Aleksandra Kozyra, da Associação Europeia para a Educação de Adultos (EAEA), em representação do Conselho Editorial da EPALE.

Mais

Debate da EPALE: o futuro da educação de adultos

A 8 de julho de 2020 (quarta-feira), com início às 10 horas e encerramento às 16 horas (CEST), a EPALE irá promover um debate online sobre o futuro da educação de adultos. Vamos discutir sobre o futuro do setor da educação de adultos, os novos desafios e oportunidades. O debate será moderado pela especialista da EPALE Gina Ebner, secretária-geral da EAEA.

 

Mais

Comunidade EPALE: partilhe os seus exemplos de boas práticas e de projetos bem-sucedidos no âmbito da educação para a cidadania

No âmbito do foco temático na Educação para a Cidadania, queremos ouvi-lo(a) a si – membro da comunidade EPALE – sobre exemplos de boas práticas e de projetos bem-sucedidos no âmbito da Educação para a Cidadania para adultos.

Mais