chevron-down chevron-left chevron-right chevron-up home circle comment double-caret-left double-caret-right like like2 twitter epale-arrow-up text-bubble cloud stop caret-down caret-up caret-left caret-right file-text

EPALE

Plataforma electrónica dedicada a la enseñanza para adultos en Europa

 
 

Inclusión social

The STAR Awards (Showcasing Teamwork, Awarding Recognition) are an awards initiative coordinated by AONTAS as part of their annual Adult Learners' Festival to acknowledge the fantastic work undertaken by adult learning projects throughout Ireland. The awards celebrate the positive contribution that these projects make to our society, our economy and our local communities. In this blog we take a closer look at one such project - Boxing Clever.

Under the European Agenda of Adult Learning project, ‘Taking the Next Steps’, Education and Training Boards were invited to participate in a national promotional strategy by hosting events to raise awareness about their education and training opportunities and the outcomes and benefits for adult learners. In early February Adult Education Officers in each ETB were notified about the project and sent an application form to access €600 in funds to support an event.

Beginning in September 2013, the IGTrain - Training to train – intergenerational transfer of knowledge on the workplace" project was approved in the framework of the Grundtvig Programme. It involves 6 partners (Verein Multikulturell (AT), Partenalia aisbl (BE), Bimec Ltd. (BG), COOS Marche (IT), Waterpolis (PT) and Mozaik (TK), with broad experience in the fields of training, employment, migration, youth, active aging, adult education as well as intercultural relations and social responsibility.

On 2 July 2015, the European Commission (DG Migration and Home Affairs) and the OECD (International Migration Division) released "Indicators of Immigrant Integration – Settling In 2015". This joint report constitutes the first broad international comparison across all EU as well as OECD countries of the outcomes for migrants and their children and covers 34 key indicators in areas such as employment, education and skills, social inclusion, civic engagement and social cohesion.

9. julija 2015 je v Ljubljani potekal posvet Svetovanje za zaposlene za večjo vključenost v izobraževanje in usposabljanje ter razvoj kariere. Organizirali so ga Združenje izobraževalnih in svetovalnih središč Slovenije (ZiSS), Ministrstvo za izobraževanje, znanost in šport (MIZŠ) ter Andragoški center Slovenije (ACS).

»Doživite politiko, poslušajte zanimiva predavanja, udeležite se zanimivih ekskurzij, diskusij. Za politiko se sploh ne zanimate? Pridite k nam! Pridružite se razpravam, prispevajte svoje misli! Za vas to ne bo izgubljen čas, marveč čas, ki ga boste vložili v nekaj vrednega.« Tako zveni povabilo v Hišo na Albu (nem. Haus auf der Alb), stvaritev Bauhausa, umetnostne šole, ki je povezovala rokodelstvo z umetnostjo in arhitekturo (1919–1933), njeno učenje pa je za dolgo spremenilo naš pogled na umetnost, arhitekturo, design itd.

Association Vita for help after brain injury from Slovenia was a coordinator of international project of Lifelong learning in the field of culture for people with special needs.

The project lasted from August 2013 to July 2015 and was intended for obtaining, developing and expanding cultural knowledge, competences and skills in an informal way on the field of culture, first and foremost for people who are in some way injured or disabled.

Este artigo pretende contribuir para a análise da emergência das Universidades da Terceira Idade em Portugal. A autora abordará, em primeiro lugar, a forma como os mais velhos têm sido tratados pelas políticas públicas e quais as representações sociais sobre os idosos que estão subentendidas nessas diferentes políticas. Este enquadramento histórico sobre as formas de tratar e perspectivar os mais velhos permitirá compreender sociologicamente algumas das condições para a emergência das Universidades da Terceira Idade em Portugal. Assim, duma forma breve, analisar-se-á o surgimento de uma política para a Terceira Idade em Portugal, focando a passagem de um período em que a velhice era uma velhice invisível para um período em que a velhice passa a ser uma velhice identificada e salientando os princípios norteadores dessa nova política que foi importada. Neste enquadramento, será estudada a emergência da primeira Universidade da Terceira Idade em Portugal, articulando com essa nova política da Terceira Idade.
Apesar da evolução dos indicadores na participação dos papéis sociais e de uma flexibilização relativa às atitudes no que respeita às mulheres portuguesas, continua a verificar-se a prevalência dos valores tradicionais diferenciadores de género como uma classificação que as coloca num patamar social entendido como subsidiário e dependente. Ao contrário do que prevíramos, o retorno à escola representa uma imposição social que não encontra no sistema de ensino e de formação actual o acolhimento das necessidades formativas dessas mulheres.
O estudo que se apresenta foi elaborado em torno de uma questão central: compreender de que modo o contacto de profissionais de educação com pessoas de etnia cigana alterou os seus modos de agir e as suas concepções sobre os processos de escolarização e educativo. A pesquisa incidiu sobre um conjunto de 15 profissionais de educação seleccionados por estarem implicados no projecto Nómada, terem contacto com crianças, jovens e adultos de etnia cigana e terem vivido experiências de intervenção educativa em modalidades alternativas à socialização escolar, mediante uma metodologia de abordagem biográfica. O estudo abordou, também, conceitos como o processo de transformação sofrido pelos profissionais em situações consideradas ecoformativas.
O objectivo do presente artigo é apresentar os resultados da aplicação de uma intervenção baseada nos princípios do mindfulness, a qual visou promover o bem-estar de idosos institucionalizados. A amostra é constituída por sete idosos residentes na Unidade de Saúde de Coimbra – Fernão Mendes Pinto – com uma média de idades de 75.1 anos, alfabetizados, com ausência de défices sensoriais e de declínio cognitivo. As investigadoras usaram um design pré-experimental e os instrumentos aplicados no pré e pós teste foram o Exame do Estado Mental (MMSE), a Escala de Afectividade Positiva e Negativa (PANAS), a Escala de Satisfação com a Vida (SWLS), a Escala COOP/WONCA Charts, a Escala de Faces para a avaliação da intensidade da dor e a Escala de Depressão Geriátrica (GDS). A nível do pós teste utilizou-se também o Questionário para Idosos Pós-Treino em Mindfulness. A intervenção teve uma duração de 9 semanas, tendo sido realizadas 27 sessões (3 por semana de 50 minutos de duração). Foram usadas técnicas de meditação, de respiração e de movimento mindfulness, no sentido de aumentar o bem-estar e o controlo da dor dos participantes. Os resultados indicaram ganhos significativos nos níveis de depressão, entre o pré e pós teste, bem como mudanças positivas nas dimensões cognitiva, emocional, física e comportamental, avaliadas através do Questionário para Idosos Pós-Treino em Mindfulness. Não se verificaram outras mudanças significativas nos restantes instrumentos referidos.
Apresenta-se, neste artigo, uma investigação longitudinal conduzida com adultos que frequentaram um curso EFA – B3. O objectivo principal do estudo consistiu em avaliar as mudanças ocorridas ao longo do curso, ao nível da satisfação com a vida e do bem-estar pessoal. O estudo, embora limitado no número de adultos envolvidos e na sua duração (10 meses), permitiu-nos constatar mudanças, no sentido positivo, em todas as escalas aplicadas, sendo de salientar as mudanças significativas observadas nas escalas de Afectividade Positiva (AP) e de Satisfação com a Vida (SWLS). Estes resultados apontam para a importância que estes cursos poderão ter na vida dos adultos, nomeadamente daqueles com baixos níveis de escolaridade.
A apologia da aprendizagem ao longo da vida, designadamente ao nível dos discursos políticos da Comissão Europeia, parece traduzir a crença de que se trata de uma nova orientação estratégica que permitirá solucionar muitos dos velhos problemas que se vêm colocando aos sistemas de educação e formação. Neste artigo, pretende-se debater em que medida a aprendizagem ao longo da vida corresponde, de facto, a uma novidade no campo educativo. Para tal consideramos, de modo articulado, três dimensões de análise: discutimos os sentidos e significados que lhe são atribuídos, reflectimos sobre as eventuais alterações que introduz, por um lado, nas orientações estratégicas subjacentes às políticas educativas e, por outro lado, nos processos de educação e formação. Procura-se, também, indagar de que modo a promoção de dinâmicas de aprendizagem ao longo da vida permite atenuar (ou não) as desigualdades que têm marcado o desenvolvimento dos sistemas educativos.
Este artigo pretende contribuir para a análise da emergência das Universidades da Terceira Idade em Portugal. A autora abordará, em primeiro lugar, a forma como os mais velhos têm sido tratados pelas políticas públicas e quais as representações sociais sobre os idosos que estão subentendidas nessas diferentes políticas. Este enquadramento histórico sobre as formas de tratar e perspectivar os mais velhos permitirá compreender sociologicamente algumas das condições para a emergência das Universidades da Terceira Idade em Portugal. Assim, duma forma breve, analisar-se-á o surgimento de uma política para a Terceira Idade em Portugal, focando a passagem de um período em que a velhice era uma velhice invisível para um período em que a velhice passa a ser uma velhice identificada e salientando os princípios norteadores dessa nova política que foi importada. Neste enquadramento, será estudada a emergência da primeira Universidade da Terceira Idade em Portugal, articulando com essa nova política da Terceira Idade.

A través de una visión general de las políticas y datos relacionados con el Plan Europeo de Aprendizaje de Adultos, este informe de Eurydice pretende apoyar el intercambio de buenas prácticas entre países. El informe se centra en aquellas medidas dirigidas a asegurar que los grupos más vulnerables de adultos discentes, en particular aquellos con escasas competencias básicas o aptitudes insuficientes, tengan un acceso apropiado a las oportunidades de aprendizaje a lo largo de la vida.

No presente trabalho pretende reflectir-se, criticamente, sobre o importante papel que a educação de pessoas adultas poderá desempenhar na promoção da igualdade de oportunidades entre homens e mulheres. Partindo dos contributos de Paulo Freire, das filosofias humanistas da educação e do reconhecimento pessoal e social das aprendizagens informais e não formais, são apresentadas algumas propostas de actuação pedagógica, destinadas a grupos de pessoas adultas, com o objectivo de fomentar o questionamento dos tradicionais estereótipos de género. E, porque ensinar não é transferir conhecimento, mas antes criar as possibilidades para a sua própria produção ou construção, defende-se que, para as mudanças desejáveis a este nível, deverão ser respeitados os princípios da aprendizagem na vida adulta, no âmbito de uma visão positiva e optimista do ser humano e da sociedade.
De Lunes 21 Septiembre 2015 hasta Martes 22 Septiembre 2015, Poland

Dni Gerontologii

Nowy model społeczeństw obywatelskich i samorządnych oraz przesunięcie fazy dorosłości życia ku późnej starości spowodowało  zwiększenia zaangażowania osób starszych w życie społeczności lokalnych oraz wzrost roli seniorów w rozwiązywaniu problemów społecznych.

Kender du til et projekt eller en person, som arbejder innovativt og engageret med læring af fremmedsprog?
Du har nu mulighed for at indstille gode projekter eller ildsjæle til Den Europæiske Sprogpris 2015. Ansøgningsfristen er den 1. september 2015.

El pasado 26 de junio tuvo lugar la ceremonia de entrega de los Premios Miguel Hernández, edición 2014, en un acto celebrado en el salón de actos del Consejo Superior de Investigaciones Científicas  y presidido por el Director General de Formación Profesional, Ángel de Miguel Casas, y el Director General de Evaluación y Cooperación Territorial,  José Ignacio Sánchez.

Los galardonados fueron:

Páginas

Suscribirse a RSS - Inclusión social